Flipi Flopi



FLIPI-FLOPI



Saem a palco prinicipal um sicologo e interpretam a obra:



Sicologo: Olá eu sou o sicologo de Ivo e Giselle ainda que eles nunca se inteiraram disto. Eu não podia lhes dizer porque implicaria com grave conflito de interesses. Vamos começar com Ivo. O nacio numa família grande com três irmãs e dois irmãos. Seus pais sempre foram exitosos em suas carreiras. Os dois irmãos eram atletas. O irmão menor tendo chegado às olimpiadas de Grécia consigo ganhar a medalha de bronze em lazamiento de jabalinas e o outro irmão foi campeon nacional de taekwondo em Brasil. As irmãs vivem Shanghai e estudam medicina antiga chinesa e foram nominadas para o prêmio nobel do 2009. Ivo sempre foi muito inseguro e teve problemas de aprendizagem. Não se sábia se era dislexia ou uma deficiência de atencion provocada por uma hiperactividad innata mas ao mesmo tempo em sua vida consigo fazer bastante dadas as circunstâncias tão dificiles em sua infância. Se analisamos seu ultimo projecto dantes de morrer podriamos chegar à conclusion de que este vacio que o sempre habia estado procurado era uma metafora do desejo profundo de deixar de competir com suas irmãs, seus irmãos seus pais seus companeros e em general consigo mesmo.



Giselle crecio numa pobreza extrema. Seus pais de ascendência Russa não falavam portugues. Desde os cinco ânus trabalhava vendendo papas no mercado numa pequena aldeia no médio da selva no Amazonas. Ela sempre tive demasiadas responsabilidades: trabalhar para manter à família, Traduzir do Russo ao Portugues constantemente a cada vez que seus pais o precisavam. Como no mercado do Amazonas os clientes do puestito eram indigenas de diferentes tribos ela teve que aprender 7 idiomas indigenas. Devido a esta habilidade com os idiomas ela foi forçada a ser agente encoberto para o governo federal. A escravatura dos indigenas naquela eopca foi a maneira em que o governo pôde solventar a construccion da capital de Brasil Brasília. Giselle nunca pudo superar esta culpa y fue en ese dia tan importante para Giselle que su vecino Mario Testino la capto en una de sus primeras fotos experimentales. Mario vivia en la orilla oeste del rio, en Peru y Giselle en la orilla opuesta en Brasil. Sempre tomavam a mesma canoa para se dirigir ao mercado. O destino destas duas pessoas já o sabemos todos. O que nunca conseguiremos saber é se ela alguma vez pôde negociar com exito a culpa tão enterrada em sua ninez com a fama da qual todos fomos testemunhas.

Ivo está sentando-se em uma tabela no restaurante que olha as fotos da arte que penduram do teto e que falam em seu cel-telefone. Sua tabela é cercada por outras tabelas com os povos que têm o jantar.

IVO: Sim Katerina, sim. Eu estou esperando-a. Está atrasada como usual… em sua maneira do aeroporto. Eu tenho a mais melhor idéia para o Sao 2010 Paulo Bienial: Todos os trabalhos pendurarão do teto em uma altura uncomfortble… que o visor terá que esticar a garganta…

Um empregado de mesa serve a mais vinho.

O Gisele entra carregar com ela um caso de terno e lotes de sacolas. Usa um chapéu enorme e óculos de sol.

Giselle: Ivo! Que viagem! Acabo de chegar de uma sesion com Mario "Fotos no ar!" Jumbo 747 Primeira classe e os asafatos em sungas servindo champagne! Imaginate: De Londres a Sao Paulo tomado champagne e comendo sanguchitos. Chego um momento em que não pude mas e vomite TUDO. Mario empezo a sacar fotos sem parar e lhe ancanto o momento. Acho que vai ser A TAMPA!

Ivo: NAUSEA ar e movimento. O titulo para a bienal do 2010...

Ivo diz-lhe a Giselle: Oliha Giselle, a bienal já consigio todos vos objectivos aos quais se propôs em 1951: “colocar a arte moderna do Brasil, não em simples confronto, mas em vivo contacto com a arte do mundo, ao mesmo tempo que, para São Paulo se buscaria conquistar a posição de centro artístico mundial” agora tenho uma ideia muito mas genial e ambiciosa que a original: voce e eu vamos facer uma obra Havaianissima!

Giselle: Eu moro na uma aldeia global viajando de aqui para alla, de alla para aqui, tantas fotos, tantas revistas....já nem me lembro Porque? Para que? Quando? Como? A mim me parece que seria mais interessante ter uma perspectiva regional. Outro vinho?

Ivo: SE. Outra copita Giselle, ou brigado. Nunca passará nada se seguimos charlando enquanto tomamos copas. O que há que tomar é uma posição! Conto-te minha ideia?

Giselle: Sento-me embotada, estou a começar a ver as coisas mas claras ainda que...Não estamos a olhar Ivo... Isso é! Todo culpa do conceptualismo.. Estamos a perder o sentido da mirada!

Ivo: É que te esqueceste os anteojos no táxi Giselle! Mesero! Os anteojos da senorita faz favor! Há Giselle!... é que voce é uma obra de arte: Devo confessar-te que este ânus deixe o pabellon vacio porque quero te exibir a vos: sozinha, e tens posto só um par de havaianas, com milhares de fotografos apertando o gatillo desde as grandes janelas. Acho que isso cumpliria um dos objectivos da bienal deste ânus: o de marketing.

Giselle: A crítica institucional é meu tema favorito da arte contemporânea mas eu não vou ser parte deste performance ridiculo. Já me conto Waleria que Havaianas lhe vai pagar os bilhetes aos artistas e que quer que me ponha as Havaianas a mudança mas não! Aparte esta foi a bienal mas barata e eu sou a modelo mas cara do mundo! Basta! Mesero! dele a conta a Ivo faz favor. A onde vamos agora Ivo?

Ivo: ¿aonde vamos? Essa ideia foi uma de minhas preocupações dos últimos anos! Vamonos a "A Louca" preciso um travesti. Que faço Gisi? As publicações vão sair tarde, esta crise é total! não lhe pagámos aos da limpeza todavia e estan amenzando com um desemprego....Temo-me que a cuidai de Sao Paulo vai queimar o edifício se não fazemos algo bom este ânus...À gente dá-lhe medo o vacio porque teme-lhe ao vacio que estava ahi em primeiro lugar. Tenho uma profunda necessidade de auto-refleccionar...de revisar, de actualizar. Devo colocar-me. Não! Re-colocar-me....

Giselle: Não! Vos achas que o vacio do edifício é um gesto politico ou historico, e o é.... mas é muito mas revolucionário esvaziar directamente nossos cérebros! Me entedes?Pensar é gerar lixo!! Não te dás conta? De qualquer maneira a minha não me vais ter nua caminhando num lixeiro! Isso mas que um gesto politico é um bochorno!!

Ivo: Sos uma genia! Desde que empeze a meditar no de Tunga empeze a mudar minhas ideias. O objectivo é claro: Basta de ideias! Basta de lixo! Façamos oficinas para que os artistas artistas brasileros voltem a conquistar a posicion central no mundo artistico.

Giselle: (Contesta o mobil) Olá? Luli! Se. Se...Se...Estou com Ivo...Não.....não.......não........A Louca......se........se........se. Não!

Ivo: Lula?

Giselle: Não. Luli... que me pôs na lista de convidados para o desfile de modas "Rave Wrold III" às 830. Queres vir? Nos haria falta um novo look........

Ivo: Onde vamos sacar um novo look?

Giselle: Tenho ultima-a coleccion Wambuto Watusi em meu valija...Vamos provar-nos...



Gis E ivo está a posar ali enquanto uma voz com reverb é ouvido sobre silêncio:

Voice: Giselle, você é a famosa modelo ....?

Giselle: Se sou eu..Quem fala?

Voice: Ivo! Não trabalhavas na galeria de Luisa Strina?

Ivo: Não! Jamais. Quem fala?

Voice: Eu estou morrido e quiciera lhes avisar que não existe o outro mundo...

Giselle: Mas se estas morrido e não existe o outro mundo de onde nos estas falando?

Voice: O que passa é que quando um se morre o unico que passa é que a pessoa se faz invisível mas segue vivendo. Dois porciento dos mortos podem falar e o resto ficam mudos mas podem escutar

Ivo: Mas os mortos podem-nos ajudar....Eu me quero morrer. Todo o que faço é um desastre e sento que não sou nada nem ninguém e estou de acordo com Giselle quando me diz que sou um incapaz.

Giselle: Não. Eu sempre te digo isso mas a realidade é que projecto meu ódio a minha mesma para ti. Sempre, sempre igual...Odeio-me

Voice: É que a verdade eu que vocês me morro porque uma vez que um se faz invisível já para começar se te levantas cansado já não te vais ver cansado, a gente não te vê as ojeras, tua não vês tua reflito, em definitiva eu lhes recomendaria que se se morram o dantes possível. Eu lhes ajudo: querem que os mate?

Marti and Milena get up from the floor and walk on to a craine that lifts them 20 feet above the stage they sing

"Quiero ser Santa"

They lower the craine and pick up an umbrella each and sing a melodic 50's song titled

'I was to young to know that I was so in Love"





first sketch for Brasil project

 


 

 
Next >